Marcelino Pan y Vino

A dica foi da minha amiga Nana Tucci. Ela comentou de um restaurante que tinha aberto na Vila e era ideal para combinarmos um encontro entre as meninas. Acatamos a ideia e hoje o Marcelino Pan y Vino é um dos meus restaurante preferidos. Motivos não faltam. Dos mesmos donos do Lola Bistrô, também na Vila Madalena, ele é uma mistura entre restaurante e bar. Tem mesas de restaurante e balcão de bar. À noite tem clima de bar com diversas opções de drinks e cara de restaurante com pratos deliciosos no almoço.

 

Esse é o ambiente da varanda

O ambiente já conquista por ser moderno e confortável ao mesmo tempo. Instalado na esquina Girassol com a Wisard, grande parte das mesas estão localizadas em uma grande varanda com sofás e cadeiras confortáveis. E, para quem não gosta de sentar do lado externo por causa do frio, não se preocupe, já que a casa também disponibiliza cobertores nos dias mais gelados.

Outro ponto positivo é o atendimento. Hoje fui comemorar meus aniversário de casamento em um almoço e decidimos almoçar sentados nas cadeiras do bar. Tanto os garçons, quanto os bartenders deixam o clima ainda mais agradável e sensação de estar em casa.

A comida merece um capítulo a parte. As duas vezes que fui fiquei uns vinte minutos pensando se investia nas tapas e entradas, se escolhia um hambúrguer ou um dos pratos. Com minhas amigas, decidimos pelas batatas bravas com azeite de ervas e, como prato principal, optei pela polenta preparada com azeite trufado, cogumelos de paris e ovo mole. Hoje escolhemos um menu mais gordinho. A entrada foi uma polenta frita em cubos com linguiça calabresa e geleia de pimenta e mini vinagrete para acompanhar. E, como prato principal, nós dois pedimos um hambúrguer. Um deles acompanhado de molho barbecue e maionese com raiz forte e o outro (nosso preferido) um hambúrguer de fraldinha com cogumelos de paris, cebola caramelizada e cheddar. Os sanduíches contam com hamburguers altos e rosados, no ponto ideal.

Na lista dos pratos que ainda queremos pedir está o Durum de pernil de cordeiro, a massa com molho emmental, os cachorros

A tabua de tapas que ainda quero experimentar

quentes preparados com salsichas alemãs e a tábua de tapas, que todos os dias conta com novidades diferentes.

Preciso dizer mais alguma coisa para explicar o motivo para o Marcelino ter ganhado tantos pontos? É só bom lembrar que das duas vezes que fui peguei fila, portanto, ou chegue cedo ou esteja disposto a tomar um drink no bar.

 

Serviço

R. Girassol, 451, Vila Madalena, São Paulo, SP

Telefone: 3034-0461

Ter. a qui. 12h/0h; sex. e sáb. 12h/1h; dom. 12h/23h

Site: www.marcelinopanyvino.com.br

Bife a rolê

Sabe aqueles pratos tradicionais que sua mãe sempre fez e que você imagina que deve ser a coisa mais difícil do mundo? Então, esse era o caso do bife a rolê. Na minha casa costumávamos comer com polenta e era um dos meus partos preferidos. Um dia, passeando pelo mercado, vi os bifinhos já enrolados, prontos para fazer esse tipo de prato. Tomei coragem e peguei uma receita do Panelinha. Para acompanhar a tradicional polenta. Desculpa, mãe, mas ficou ainda melhor do que o que eu comia em casa.

Ah, para fazer esse prato, você terá que usar a panela de pressão, caso tenha dúvidas clique aqui que eu ensino!

 

Receita tradicional que não pode faltar na cozinha

Ingredientes

1 kg de coxão mole cortado em bifes
1/2 cenoura
1 talo de salsão
1/2 nabo
3 colheres (sopa) de óleo de canola
1 colher (sopa) de bacon
1/2 colher (chá) de canela em pó
1 colher (chá) de pimenta-síria em pó
1 cebola picada
3 dentes de alho picados
1/2 xícara (chá) de extrato de tomate
1 l de caldo de carne (se for usar cubo, dissolva apenas 1)
2 colheres (sopa) de maisena
2 colheres (sopa) de salsinha picada
2 colheres (sopa) de cebolinha cortada
palitos de dente para fechar os bifes

Modo de Preparo

Descasque a cenoura e o salsão. Corte os legumes em palitos finos de 6 cm de comprimento. Tempere os bifes com um pouquinho de sal. Abra-o e coloque 1 palito de cada legume numa extremidade, enrole e prenda a outra extremidade com 2 palitinhos de dente. Repita o procedimento com o restante dos bifes e dos legumes.
Leve uma panela de pressão com o óleo ao fogo alto. Quando esquentar, coloque o bacon e deixe dourar por 3 minutos. Acrescente a canela (o segredinho da Rita Lobo!), a pimenta-síria e os bifes enroladinhos. Deixe dourar por 5 minutos, mexendo com cuidado para que a carne não desenrole.
Junte a cebola e o alho e refogue por mais 5 minutos. Adicione o caldo de carne e o extrato de tomate. Tampe a panela e deixe cozinhar na pressão por 30 minutos. Desligue o fogo e deixe a panela esfriar.
Quando sair toda a pressão, abra a panela e retire uma concha do caldo da carne. Numa tigelinha, misture o caldo com a maisena até dissolvê-la. Volte o caldo com a maisena à panela e misture bem. Leve ao fogo médio e, quando ferver, deixe cozinhar por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando. Na hora de servir, junte as ervas, misture bem e transfira para uma travessa funda.

AK/Vila na SPRW

Se tem um evento gastronômico que eu sempre aproveito, este é a SPRW (São Paulo Restaurant Week). Acho muito legal, já que são lugares que oferecem o melhor do seu menu a um preço bem acessível. Confesso que das primeiras vezes que fui me decepcionei com o tamanho e qualidade do prato, mas com o passar do tempo a semana da gastronomia começou a ganhar cada vez mais relevância e os restaurantes que tentam ser “espertinhos” no final são severamente criticados pela mídia.

Essa edição da SPRW decidimos ir em uma restaurante que tenho vontade faz bastante tempo: o AK/Vila, da chef Andrea Kaufmann. Por um bom tempo ela comandou o AK Delicatessen que ficava em Higienópolis e tinha fortes tendências da culinária judaica. Repaginado e em outro endereço, o AK/Vila fica na Vila Madalena e é um restaurante que agrada em todos os sentidos. O ambiente já ganha muitos pontos já que é moderno e descolado, mas sem deixar o sofisticado de lado. Mas como o mais importante é a comida, essa merece um capítulo a parte.

O ambiente já é maravilhoso (amei as luminárias)  Como as opções do menu do SPRW eram tentadoras, decidimos que iriamos pedir tudo! \o/

A entrada experimentamos um delicioso croquete de pato com uma geleia de pimenta e uma berinjela chamuscadas com tahine e tomates temperados (se não fosse o agridoce do molho, essa entrada lembraria bastante um babaganuch). O prato principal foi um spaguettini com pesto

A beringela que pedimos de entrada

de manjericão e cabeça de lulas provençais e um ragú de linguiça picante, com polenta rústica e salada de ervas frescas. Aparentemente os pratos são tradicion

ais, mas o tempero que a chef usa faz toda a diferença. Desde a entrada até os pratos, senti sabores únicos, que não conseguia distinguir o que era.

Para terminar, duas opções de sobremesa. Eu escolhi a taça merengue de morangos e calda de Mirtillo e o André a torta mousse de chocolate, Praliné de nozes e caramelo salgado (mas ele pediu sem as nozes). A sobremesa foi a única parte do menu que escolhemos uma preferida. Tanto eu quanto o André gostamos mais do merengue. Não que a torta não estivesse boa, mas ela era um pouco mais pesada.

Gostamos tanto da comida que já estamos pensando um dia sem menu SPRW para voltar e experimentar os pratos tradicionais da casa.

Ah, é sempre bom lembrar o valor do menu da SPRF. O AK só serve o menu especial durante o almoço, mas outros restaurantes servem à noite também.

Serviço:

AK/Vila

Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1240

Telefone: 3231-4497

SPRW

R$ 31,90, no almoço, e R$ 43,90, no jantar (bebidas, serviço e couvert não inclusos).

Site oficial para conhecer os outro locais participantes: http://www.restaurantweek.com.br/