Ragù de carne para todas as horas

Essa receita é a minha mais nova paixão. Aprendi em um curso que fiz faz pouco tempo e me apaixonei. O motivo? Ela vira diversos pratos e pode ser congelada sem problemas. A professora deu a dica de fazer uma porção grande e congelar separadamente, assim, naqueles dias corridos, é só descongelar parte da receita. Outra dica: pode ser feita com carne de cordeiro, colchão mole ou alcatra. Eu fiz com a última das opções, mas da próxima vez pretendo fazer com cordeiro. Para terminar, a última dica. Este ragù pode ser servido por cima de um risoto básico, com purê de batatas ou até como molho de uma massa. Só não esqueça de reservar um tempinho para fazê-lo, já que o segredo é o longo tempo que ele fica cozinhando.

Este foi feito para um risoto

Ingredientes

  • 500g de alcatra cortada em cubos grandes (maior do que o corte do strogonoff)
  • 1 cebola médica picada
  • 4 talos de salsão cortado em pedaços de 3 cm
  • 3 cenouras pequenas cortadas em rodelas
  • 2 colheres de sopa de salsinha picada
  • 1 xícara de chá de vinho tinto (na aula ela ensinou com branco, mas preferi com tinto, vai do paladar de quem está cozinhando)
  • 4 tomates italianos pelados
  • 2 colheres de sopa de bacon em cubos
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • Sal e pimenta do reino moída na hora à gosto

Modo de preparo

Tempere e carne com sal e, em uma panela com fundo grosso, sele-a. Reserve em outro recipiente. Na mesma panela, adicione o bacon, a cebola, o salsão, a cenoura e a salsa. Deixe-os suar. Adicione a carne e o vinho. Deixe cozinhar até que o vinho evapore quase que por inteiro. Acrescente o tomate picado grosseiramente (não deixe de colocar o suco que vem na latinha). Deixe cozinhar lentamente e, sempre que precisar, adicione água, mantendo-a abundante. Após aproximadamente uma hora, retire a carne e corte-a em pedaços bem finos. Devolva ao molho e deixe por mais cerca de 15 minutos.

Risoto de funghi e shitake

Como já disse antes aqui no blog, não tem como não agradar quando o risoto faz parte do menu. Alguns deles não precisam nem de outro acompanhamento, já que por si só são uma refeição inteira. Esse risoto de funghi e shitake secchi fiz em uma noite que umas amigas vieram jantar em casa e eu não queria ficar horas na frente do fogão.

Ele é mais gostoso que bonito...

Ingredientes

  • 1 cebola pequena picada
  • 1 fio de azeite
  • 2 xícaras de arroz arbório
  • 1 xícara de funghi secchi
  • 1 xícara de shitake secchi
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • ½ xícara de queijo ralado
  • 1 colher de chá de cebolinha picada
  • 6 xícaras de chá de caldo de carne (ou dois cubinhos dissolvidos)
  • 1 xícara de vinho branco seco

Modo de fazer

Deixe o funghi e o shitake de molho na água por cerca de 20 minutos. Doure a cebola no azeite, adicione o arroz e frite um pouquinho. Adicione o vinho e deixe até que o arroz absorva o liquido. Misture os cogumelos e deixe-os dourar. Aos poucos vá adicionando o caldo e mexendo, quando ele estiver secando, coloque mais. Repita até que o arroz fique al’ dente. Desligue o fogo, misture o queijo, a cebolinha e o queijo. Sirva quente porque risoto frio fica horrível.

Risoto de gorgonzola que engana

Não sei porque e em qual momento o risoto ganhou tanto status. Tudo bem que é uma delícia e dependendo do que for, vai muito bem com carnes, peixes ou aves. Mas o que muita gente não sabe é que fazer um risoto só aparenta ser difícil. No fundo, ele é um arroz que você deve dar um pouco mais de atenção. Adoro fazer quando recebo visitas e não quero ficar tanto tempo cozinhando. Essa receita minha mãe me ensinou e é engraçado que quando digo o menu, todo mundo diz “nossa, que chique!”. Mal sabem eles…

Fica uma delícia no inverno

 Ingredientes

  • 150 g de arroz arbóreo
  • 100 g de queijo gorgonzola
  • 1 cebola pequena picada
  • 100g de parmesão ralado
  • 1 dente de alho amassado
  • 1 cálice de vinho branco seco
  • 2 l de caldo de legumes fervente
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 pêra picada
  • Azeite
  • Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

Refogue a cebola e o alho em azeite. Coloque o arroz e frite um pouco. Jogue o vinho branco e quando sentir seu aroma acrescente duas conchas de caldo de legumes, mexendo sempre. Acrescente o caldo sempre que o arroz começar a secar. Por fim,  coloque primeiro o gorgonzola e a pêra, depois que derreter, adicione o parmesão e a manteiga e sirva.

Dica – Antes, para fazer um risoto, você tinha que investir um pouco de dinheiro, já que o arroz era caro. Hoje, é possível encontrar várias marcas e com ótimos preços. Costumo comprar o do Tio João que é bom no preço e na qualidade.